GRIPE A (H1N1) - GRIPE SUÍNA

Tags

Gripe A
A gripe A, também conhecida como gripe suína é causada por uma nova espécie de vírus, o H1N1, que é transmitido pelo ar, de pessoa para pessoa, através de gotículas de saliva de um indivíduo doente. Seu diagnóstico é feito através de exame de sangue, já que os sintomas são semelhantes aos da gripe comum.

Desde abril de 2009 os noticiários têm dado ênfase a uma nova gripe que, segundo a Organização Mundial de Saúde, foi considerada uma pandemia, isto é, uma doença que afeta um grande número de pessoas ocorrendo, praticamente, em todo o mundo. Trata-se da gripe “A”, outrora denominada de gripe suína, uma vez que seu causador, o vírus H1N1, fora isolado pela primeira vez num porco, em 1930. Com as seguidas modificações em seu material genético, as  chamadas mutações, o vírus tornou-se capaz de vencer a barreira interespecífica e, agora, infecta também seres humanos.  Veja o quadro a seguir.

Forma de contágio da gripe A (H1N1)
Os espirros, a tosse e o contato da mãos com objetos contaminados são formas potenciais de contágio.

A melhor forma de prevenir o contágio é evitar o contato com pessoas que apresentem sintomas de gripe comum, que são: febre, tosse, dor de garganta, dor de cabeça, dores no corpo ou musculares, arrepios, fadiga e, menos frequentemente, vômitos e diarreia.

Tratamento para a gripe A (H1N1)
O tratamento para a gripe A (H1N1) é feito com antivirais, como o Tamiflu e o Releza, que têm demonstrado eficácia ao longo dos anos.

Medicamentos de suporte para baixar a febre e diminuir o mal estar também podem ser utilizados, se o médico achar necessário.

Durante o tratamento, recomenda-se que o indivíduo alimente-se normalmente e beba bastante água. O repouso é muito importante e, por isso, estudantes não devem frequentar a escola e os trabalhadores devem faltar ao trabalho, devendo fornecer o atesto médico de afastamento do trabalho.

Como evitar a transmissão da gripe A (H1N1)
Por não existir ainda vacina ou tratamento adequado para este novo vírus, o melhor para se proteger e conter o avanço da doença será sempre evitar o contágio.